Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

[12] Lisa

lisa.JPG

 

 

Nome: Lisa

Idade: 40 Anos

Altura:1,76

Peso: 133Kg /Actualmente com 93kg

Situação: Fez a cirurgia Banda gástrica 17.02.2005

Data do Testemunho: 24.12.2006

 

 

Sempre fui a menina que ocupava mais espaço do grupo, na adolescência e depois na juventude, com excesso de peso, mas ainda dentro dos limites. 

Fiz o percurso normal dos "gordinhos", dietas... mais ou menos complicadas, médicos da moda... (Dr. Talon... Dr. Povoas...entre outros) Herbalife, Xenical e por aí...perdia e passado um tempo, os quilos perdidos voltavam com juros! O peso sempre aumentando e com ele os problemas de saúde a chegarem, tensão alta, dificuldade em dormir (cheguei a dormir com 3 almofadas) cansaço, dores nos joelhos, impossibilidade de fazer exercício físico e por aí...

Resolvi ir a uma consulta para saber o que melhor se adequava, se a Banda Gástrica ou Bypass, foi decidido pelo Médico que seria a banda.
Fiz a cirurgia estive um mês a líquidos, depois mais um mês a moles/purés e no 3º mês já a sólidos.

Perco peso muito lentamente. Neste momento perdi já 40 Quilos, ainda me faltam mais alguns... já me foi apertada a banda 6 vezes, porque sou mesmo difícil de perder peso... consigo comer sólidos, se mastigar tudo muitíssimo bem, ou seja tenho refeições em que demoro quase uma hora.
Aprendi a fazer as refeições conforme posso, sem fazer disso um drama. Adquiri novos hábitos, aprendi que para conseguir fazer uma refeição de sólidos, terei de estar serena, mastigar muito bem e conversar pouco, assim sendo quando a refeição é feita fora de casa, normalmente opto por sopa, não porque têm de ser, mas porque assim fico menos apreensiva com o facto de me sentir menos bem.

O perder peso mais lentamente, que inicialmente me preocupou e até me deixou um pouco desiludida, pois queria perder o mais rapidamente, acabou por ser positivo, pois tem dado tempo aos tecidos e à pele de ser ir reajustando. Por este andar possivelmente não será necessário recorrer a nenhuma cirurgia plástica.

Para terminar, este testemunho, gostaria de dizer que foi uma das melhores decisões que tomei na minha vida, que a minha qualidade de vida melhorou, voltei a fazer as coisas mais simples, tais como baixar-me para abotoar os ténis, ou brincar aos saltinhos com os miúdos. Valeu a pena!