Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

[54] Ana Cristina Duarte

250515_213438018678879_4642951_n.jpg

 

Nome: Ana Cristina Duarte
Idade: 33
Altura: 1,66m
Peso ANTES: 151 kg
Peso DEPOIS: 69 kg

 


Desde sempre fui gorda. Nasci com 4, 180Kgs, e sempre vivi com o facto de ser diferente dos outros... era uma menina maior que os outros, por um lado defendiam-me pelo tamanho, por outro era tímida e com dificuldades de me relacionar.

Na adolescência percebi mesmo que era diferente e que era desagradável ao sexo oposto... o que me causou grandes desilusões por ter ouvido várias vezes "És gorda!". No entanto, tive namorados... era gorda mas bem feita de corpo... sem desproporções!

Tenho dificuldades em acompanhar as aulas de Educação Física e faço as primeiras dietas para ser magra... mas empenho-me ao máximo nos estudos, de forma a colmatar aquilo que considero deficiências!


Entro na universidade e o ser diferente continua... era maior que a outras! Tenho dificuldades na praxe e vingo-me sendo resmungona e desafiadora... das mais velhas que eram também mais pequenas! Vivo constantemente em dietas e a engordar: consigo emagrecer uns quilos mas depois alguma coisa me põe em baixo psicologicamente e como, consequentemente engordo!


Aos 19 anos, tenho o meu primeiro amor e relacionamento sério, no entanto ele diz que estaria mais vezes comigo se fosse mais magra... Tenho 106kgs nessa altura e deixo literalmente de comer durante um ano. Chego aos 80kgs linda e maravilhosa, mas triste, sorumbática, sem sorriso e com infecções várias.  Seria anoréctica se fosse de peso normal! Aos poucos, vou aceitando de novo a minha genética e vou-me tratando, conseguindo engordar saudavelmente e mantenho o peso baixo durante algum tempo.


Ao longo do curso, as oscilações de peso vai continuando, sempre dependentes do estado emocional...
Aos 24 anos, entro na minha relação actual, mais séria, que vai ao casamento... e começamos a pensar em ter filhos que nunca mais aparecem. Eu sempre sonhei ser mãe, acho mesmo que é essa a minha missão na vida, no entanto a gravidez nunca mais aparece. Psicologicamente, vou entrando num ciclo descendente e vou afogando as mágoas em comida. Passo o dia no trabalho e ás vezes esqueço-me de me alimentar, no entanto chego a casa e como tudo num momento de asfixia. Obviamente que o assunto "gravidez" vai ficando pior porque sendo cada vez mais obesa, as probabilidades de engravidar iam ficando menores. Chego ao ponto de dizer ao meu marido para engravidar outra mulher e que tomaria conta da criança, ou de lhe dizer para me deixar que eu nem mereço ser mãe de ninguém... Faço exames médicos que me informam que nem sequer conseguem descobrir os meus ovários, no meio da gordura. Profissionalmente, as coisas também não estão bem e com tendência para piorar!


Continuando na minha espiral descendente, penso em mudar de vida, em pensar mais em mim, em pensar na minha saúde que se deteriora de dia para dia, adormeço em qualquer lado, tenho dores de morte, dificuldade em movimentar-me e em coisas simples como entrar o carro, sou invisível para o mundo, faço barulho enquanto durmo e ninguém consegue estar perto de mim... sei lá, n coisas que aos poucos me fazem perceber que a minha vida está cada vez mais por um fio!


O meu marido faz um vídeo de mim a dormir... e assusta-me terrivelmente! Foi dado o clique! Procuro informação na Net e descubro o "Gorda sim mas com humor!" e sinto-me completamente identificada! Entro no fórum do blogue e no fórum do clix, leio tudo de fio a pavio, pergunto, falo com outras pessoas, investigo hospitais e clínicas, "peço orçamentos", descubro que não sou a única...

Passa algum tempo e marco a primeira consulta na Clínica de Santo António. Entro numa aventura de idas a Lisboa (que ainda hoje me faz aflição)  a partir de Outubro de 2008, sou operada em Julho de 2009, por vontade própria consentânea com a vida profissional, e o Dr. Rui Ribeiro opta por um bypass gástrico anelado.


Até hoje perdi 80Kgs, tive alguns problemas alimentares com a operação mas tudo se ultrapassa nesta segunda oportunidade que me foi dada.
A minha perspectiva sobre a vida foi alterada, a Dra. Ana Rebelo foi essencial para me ajudar a pôr a cabeça no sítio e para me ajudar a valorizar a minha vida e a minha pessoa, libertou-me também de todos as minhas inseguranças e fez-me colocar o EU acima de tudo, quando antes estava lá bem no fim.
 
Obrigada a toda a gente que me ajudou, a ti Gina e ao Tiago por terem partilhado na Net as vossas experiências, aos meus amigos e à minha família por me ter dado na cabeça sempre!