Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

[38] Susana

Nome:Susana

Idade: 33 Anos

Altura: 1,67

Peso: 127 Kg/Actualmente 115 kg

Situação:Colocação Banda Gástrica 20/06/2007

Data do Testemunho: 18.07.2007

 

 

Desde que me conheço que era gordinha demais para a minha idade. Na escola, sempre me senti bastante discriminada por esse motivo (as crianças conseguem ser muito cruéis umas com as outras). Era sempre a última a ser escolhida para qualquer brincadeira, para outras nem me candidatava porque simplesmente sabia que não podia acompanhar (tipo correr, jogar à apanhada, etc).

Numa fase de adolescência foi um pouco melhor, isto porque como aparentava muito mais idade do que tinha (pelo enorme corpanzil) comecei a namorar muito nova e até ouvia uns piropos, o que deixava o ego lá em cima.
Mas interiormente os complexos eram muitos: na praia andava sempre de túnica e quando ía tomar banho era sempre com a toalha atrás de mim e no sítio com menos gente possível.

Quando comecei a namorar com aquele com quem viria a casar, essa fase passou um bocado. Sentia que gostava de mim assim e parece que já nada importava. Andava na praia à vontade e imaginem....até comprei um biquini. Sol de pouca dura...
Casei e ao fim de alguns anos o casamento ia mal. Com os nervos cada vez comia mais. Tudo o que via devorava. O marido começava a criticar o que comia, a criticar o facto de esta ou aquela peça de roupa já não me servir, etc... Resultado....cada vez comia mais e consequentemente engordava mais.
Também a nível do ciclo de amigos a minha cabeça fez com que me refugiasse um pouco de todos eles. Não sei explicar mas sentia que era sempre tratada de forma diferente do que tratavam as minhas amigas (se calhar nem era, mas eu tinha a certeza que sim), então comecei (desculpem a expressão) a sentir que metia nojo à beira das outras pessoas.

Uma vez fui com umas amigas ao shopping e entramos na Zara. Elas viam tudo, tudo lhes servia, passaram lá imenso tempo. Não me perguntem porquê (lá no fundo eu sei!) mas comecei a ficar sufocada a sentir-me tão mal, tão mal, tão mal, sai disparada pela loja e fui refugiar-me na casa de banho a chorar. Foi um dos piores ataques de choro de que me lembra.
Conclusão, durante um tempo deixei de as acompanhar quando iam às compras.

Aos 28 anos divorciei-me e com uma grande depressão em cima a consequência era continuar a comer e a engordar, até chegar ao peso de 127 kg. Nem queria acreditar mas era verdade. Passei a detestar olhar para mim, a não gostar de mim (lá no fundo acho que nunca gostei), a isolar-me....

Foi preciso quase 4 anos mais para perceber que tinha de fazer alguma coisa, até porque as simples actividades diárias já custavam a fazer. O simples apertar os sapatos, tratar da minha higiene íntima, subir as escadas de minha casa tornaram-se uma dificuldade.

Fui ao médico de familia que me aconselhou a ser seguida pelo Hospital de S. João e enviou a credencial para a consulta de Endocrinologia. Em 08-11-06 fui à primeira consulta e após uma conversa com a médica decidi que era mesmo altura de dar um novo rumo à minha vida. Foram-me passados todos os exames, fui a todas as consultas necessárias e finalmente no dia 20.06.07 fui operada para colocação de banda gástrica.

Fui com medo, receio e muitas vezes até com dúvidas se era aquilo mesmo que queria. Admito que em todo este processo pensei em desistir em algumas alturas, mas não o fiz. Não o fiz porque quero começar a fazer uma coisa que nunca fiz na vida: GOSTAR DE MIM! Quero poder de alguma forma recuperar o tempo que perdi no passado e fazer as coisas que não fiz pk tinha vergonha ou simplesmente não conseguia fazer! Quero poder andar lado a lado com o meu namorado (pessoa maravilhosa que entretanto conheci e me tem apoiado muito em tudo isto) e não ter vergonha porque fisicamente não fico bem ao lado dele e parece que toda a gente olha e repara.
Concluindo: Quero poder VIVER com tudo a que tenho direito!

Agora com 1 mês após a operação e com 11 kg a menos, apesar de ainda ser muito pouco face ao que tenho de perder, sinto-me muito bem. A dieta liquida não foi nada dificil de fazer . Pensei que me iria custar muito mais. Hoje comecei a dieta pastosa, ainda muito a medo mas também não há-de custar nada se Deus quiser. As pessoas fartam-se de me fazer elogios, o que é muito bom e me dá cada vez mais força para lutar e cumprir tudo direitnho para não ter problemas e ter os resultados desejados. Ainda estou muito no ínicio desta caminhada e ainda tenho muito para andar, mas sinceramente já me sinto principalmente mais forte emocionalmente e não estou em nada arrependida do que fiz! É verdade que temos de abdicar de muita coisa, mas para já está a valer muito a pena!

Amigos e amigas, agora acredito que há uma luz ao fundo do túnel e acredito que quando chegar ao fundo desse túnel vou poder ser aquilo que sempre quis e vou gostar muito de mim e principalmente deixar que os outros também gostem, pois por experiência própria vos digo que quando não gostamos de nós é dificil acreditar que os outros gostem e isso pode dificultar e muito as nossas relações com as outras pessoas.

No meio disto tudo só lamento o tempo que perdi e ter demorado tanto tempo a tomar esta decisão. Por isso digo a quem estiver a passar pelo mesmo..... ACREDITEM QUE VALE A PENA!