Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

[3] Teresa Marques

 

Nome: Teresa Marques

Idade: 33 Anos

Altura: 1.68 cm

Peso: 124 Kg

Situação: Fez Bypass Gástrico dia 28.11.2006

Data do Testemunho: 03.12.2006

Actualizado a: 20.08.2007

 

“- Tem um cabelo giro, uma cara engraçada, mas é tão gorda que fica feia!!!”...era apenas um comentário que engoli em seco quando andava na escola preparatória, vinda duns miúdos que por acaso eram da minha turma...cada comentário destes era como uma pequena punhalada no meu ego.
“- Gorda, és tão gorda!!”...não sabia eu ainda nessa altura aquilo que me estava reservado.A adolescência passou e com ela passou todo um conjunto de coisas que mal vivi. Desde as saídas em grupo, os poucos amigos que tive, e os namorados que não conquistei, o tempo passou e gorducha continuei.No entanto havia fases em que lá conseguia controlar-me um pouco mais e a coisa não se tornava tão notória.Os dias eram passados no quarto a estudar, a ler ou a ouvir música, o que se traduzia em boas notas e em amigos que tentavam tirar algum proveito das mesmas, mas que depois por vezes nem me reconheciam quando se cruzavam comigo na rua.A solidão tornou-se nessa altura a minha melhor amiga, aliada e companheira...Apercebo-me hoje que me acompanha até ao presente.Fujo das idas á praia por motivos óbvios, da simples visita a casa daquela tia que até gosta de nós, mas que ao ver-nos faz sempre o mesmo comentário: “-Filha, parece que estás mais gordinha!!!”, de passeios porque pareciam haver sempre olhares indiscretos que nos apontavam o dedo parecendo dizer:”- Tadinha da miúda, tão nova e já tão gorda, sem jeito!!!”.Evitar...a palavra chave...evitar tudo o que me magoava...e o ciclo vicioso estava já ele entranhado em mim...dos poucos prazeres que tinha, aquele era o que mais me satisfazia...e como de “gorda não passava”, continuava a comer, a engordar, a comer, a engordar e a sentir-me cada vez mais miserável, mais sozinha.

Conheci uma pessoa que entretanto parecia não se importar como meu aspecto, e passado algum tempo casámos.

Antes de engravidar, decidi que não podia colocar a vida do meu filho em risco, pelo que achei que o melhor seria emagrecer...e se o pensei, melhor o fiz...recorri ao Dr Tallon...e resultou...fiquei bem diferente.Pela primeira vez estava a vestir roupas de tamanhos normais, a sentir-me bem comigo mesma.No entanto, o relacionamento com o marido que “escolhi” não andava bem, sendo uma fonte de ansiedade, contribuindo para me levar ao mesmo peso logo após o nascimento do petiz. Veio o divórcio e depois dele e de sarar feridas era tempo de renovação. Segunda tentativa com o Dr Tallon...bem sucedida novamente.Perdi novamente os 50 e poucos kilos...Agora sim, perto dos 30, uma mulher feita, estava a descobrir coisas que deveriam ter sido descobertas porventura bastante antes, caso eu me tivesse permitido. Aí sim, a verdadeira adolescência quase aos 30...inúmeros encontros amorosos, casos, namoricos...até que conheci o meu actual companheiro. Daí á vida familiar foi um passo.Daí a voltar a engordar foi outro. Se me perguntarem porquê, nem eu sei bem porquê.Estava feliz...fui comendo, fui-me avolumando de novo, sempre negando que estava a ficar como antes. Achava que a qualquer momento podia parar, que voltava ao que era em dois tempos se quisesse. E quiz...E voltei ao Dr Tallon...E já não me serviu de nada, porque sabia as restrições que me esperavam e que já tinha passado por aquilo por duas vezes e que tinha voltado ao mesmo...até que ponto estaria eu disposta a passar por tudo outra vez??? Não naqueles moldes...Já não estava...Mas tudo tinha voltado; desde o medo de sentar em cadeiras de esplanada, quer elas fossem de plástico e se partissem com facilidade, quer elas fossem robustas, mas estreitas e não concebidas para traseiros pouco elegantes como o meu. Tudo desde o relacionamento com o companheiro, inclusivé a nível sexual estava agora em causa. Sentía-me a perder terreno, sem conseguir ter força de vontade para voltar a conquistá-lo. Precisava dum empurrão. De algo que me fizesse recordar que já tinha passado por aquilo duas vezes e que não queria voltar ao mesmo...algo definitivo. Aí comecei a pensar cada vez mais seriamente em colocar uma banda gástrica. Lá fui a uma consulta no Egas Moniz e ...pelo menos 3 anos de espera me aguardavam...tentei S. José e aí foi bem mais simples, mas a marcação das consultas de psicologia e de nutricionista só começavam a ser feitas daí a uns meses...outros problemas estavam também á espera de ser resolvidos, pelo que acabei por pôr essa ideia um pouco de parte. Resolvidos esses, é claro que foi altura de voltar a pensar em mim. Nova tentativa no Hospor em Setúbal. E foi desta...fui operada dia 28 de Novembro, fiz um bypass gástrico, estive internada dois dias após o que voltei para casa. Estou bem, correu tudo muito bem até agora e já como como um passarito. Hoje, dia 3 de Dezembro, perdi já cerca de 4 kg.

Enfim, pode não ser um grande testemunho, mas é o meu. A obesidade nunca me trouxe nada de bom.Fiz do meu peso um iô-iô. Poderia ter sido uma pessoa diferente, quem sabe...No entanto, estou feliz agora e espero continuar. Não pretendo ser exemplo para ninguém, pois cada caso é um caso. Ninguém é igual a ninguém. Mas uma coisa vos digo...se não estão felizes assim, talvez seja hora de mudar, de virar a mesa!!...Já virei a mesa em muitas situações e não me arrependo. Beijos para todos e caso o desejem, podem enviar-me mails para tmarques32@gmail.com

 

sorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gif

20.08.2007

 

Passaram já 10 meses desde a minha cirurgia. Continuo muito bem. Perdi até agora 46 kg. Não cheguei ainda ao final da minha batalha, até porque acho que ela não termina. Está mais complicado por agora, pois a perda de peso está a ser mais gradual. Mas sou eu que a prefiro assim. Estava a assustar-me um pouco a ideia de não conseguir parar de perder peso. No entanto isso não acontece. Como de tudo o que as outras pessoas comem, apenas com diferença na quantidade. Claro que continuo a optar sempre pelos produtos magros, light, etc...tentando sempre poupar-me na ingestão de calorias. A minha vida mudou e muito. Há um ano atrás, sonhava apenas com algumas coisas que hoje, (e passou só 1 ano), já consigo fazer...coisas simples, como ir aos saldos e encontrar peças que me servissem...gostar de me ver ao espelho...e tantas outras que todos vocês sabem como é...

Foi bom o apoio que recebi simplesmente por partilhar com algumas pessoas o que sentia...senti que não estava só...e encontrar outros que se sentiam como eu, foi o primeiro passo. A seguir a esse, foram muitos outros passos, e olhem, valeram todos a pena. Procurava pelos sites de cá, e não encontrava grandes fotos...sim, porque as fotos são de facto importantes para quem está a tentar convencer-se a mudar, a arriscar, a ser feliz. Assim, decidi enviar agora as fotos do antes, (no dia da cirurgia) e do agora...para poderem mudar também vocês. Não duvidem nunca...se tiverem a oportunidade de fazer a cirurgia, façam-na...procurem fazê-lo em segurança, mas façam...não duvidem daquilo que podem ser.
Quem não arrisca, não petisca.