Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

[23] EcoCharlie

Nome: EcoCharlie

Idade: 51 Anos

Altura:1,70cm

Peso: 105 Kg - Actualmente 87kg

Situação: Colocou Banda Gástrica 13.12.2006

Data do Testemunho: 10.04.2007

 

Prometi à “Fada Madrinha”, à mentora deste cantinho, que lhe “ofereceria esta prenda”, seria desta vez que faria o meu depoimento…Ei-lo!.

13 de Dezembro de 2006
1,70 metros; 105 kg; IMC=36,3; 51 anos; hipertenso; hérnia de hiato; pesado e desconfortado, descompensação física e emocional, depressão; auto-estima em baixo, vida em tons de cinzento, Pouca actividade física. Eis o meu quadro, à data. Este era o meu retrato há coisa de 4 meses. É passado, é barreira ultrapassada, é situação que não pretendo nem quero repetir. Entretanto… passaram-se quatro meses

09 de Abril de 2007
Continuo a medir os mesmos 1,70 metros como seria de esperar, mas “encolhi” em peso, pois agora peso 87 kg e irei reduzi-los ainda mais, assim o desejo, assim o quero. Tudo se deve a uma cirurgia bariátrica, destina a corrigir o mal-estar provocado pela hérnia do hiato, os refluxos dos líquidos estomacais, que me queimavam dor dentro, qual ferro em brasa que me apunhalava no interior do meu esófago. Além disso isto associado ao excesso de peso, levava-me quando dormia a ter a chamada “apneia do sono”, acordava quase que asfixiado, numa incomodidade e desconforto absoluto.

Recordava com nostalgia, quando com cerca de 70 kg, praticava desportos náuticos, fosse vela, natação, remo ou mergulho com garrafa. Grandes caminhadas a pé, percorrer o mundo com uma mochila às costas. Cidadão do mundo, “bicho” gregário e solidário, onde fui conhecendo pessoas, países, palmilhando “novos mundos”. Como diria o José Saramago, passear numa cidade, é como “lê-la com os pés”.

Pois bem, o meu estado de saúde, (hipertenso, colesterol muito alto, obeso, hérnia do hiato, refluxos e apneia), assim as “agressões” sucessivas aos tecidos do esófago, estavam a provocar alterações preocupantes nas células que constituem o revestimento do tecido do esófago, com risco de vir a degenerar em cancro, o que associado ao meu “património genético” (a minha família tem vindo a ser dizimada por este mal) e não me sentir bem nesta “pele” levaram-me a juntar o útil ao absolutamente necessário. Ou seja, já que tinha que tinha que fazer uma cirurgia à hérnia, e dado que era considerado de risco elevado (a hipertensão, colesterol elevado, IMC superior a 35, ameaças de AVC, levaram os médicos a sugerir-me que pensasse na hipótese de colocar também uma “Banda Gástrica” e assim o fiz.

Como já referi passaram cerca de quatro meses e com menos 16/17 kg, rejuvenesci, retomei o gosto de voltar a dar umas boas caminhadas a pé, olhar e ver as cores com que se pinta e tinge a natureza, ouvir os sons e cheiros que ela nos tem para oferecer, voltei a dar umas maravilhosas braçadas na água. Voltei a poder observar as estrelas, vê-las cintilar, brilhar, sentir o seu pulsar, em sintonia com o meu coração, pela alegria de ter conseguido. Sinto-me de facto outro e estou contento por tal.

No entanto, esta vitória pessoal, como em tudo na vida, não é só meu mérito, tal só foi possível graças ao saber dos médicos que me acompanham, seja ele o cirurgião, psicóloga e nutricionista, assim como o apoio da minha família, dos amigos que me apoiaram fazendo acreditar que é possível, para o efeito bastar querer, acreditar e crer.!.

Ao nível pessoal, é fundamental que cada um interiorize, que se discipline e tenha a força de vontade, para num primeiro momento querer mudar, crendo que tal é possível, deitar para traz o estigmatismo que envolve e manieta todos os obesos. Há pois que acreditar em si, apoiando-se e ser apoiado naqueles nos amigos e família, depois há que ter vontade cumprindo as dietas e algumas limitações alimentares, (calma eu disse apenas algumas limitações…), depois juntar umas pitadas de exercício, boa disposição, espírito positivo, camaradagem e…, pouco a pouco, passo a passo, degrau a degrau, vão surgindo novas formas, uma transformação e sentimo-nos mais levezinhos quer em conceito físico (a balança não nos engana!!) quer ao nível do ego, este sem peso, mas do tamanho do mundo.