Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

[21] Eugénia

Nome: Eugénia

Idade: 47 Anos

Altura:1.60 cm

Peso: 112 Kg

Situação: Actualmente aguarda para fazer Banda Gástrica

Data do Testemunho: 03.04.2007

Nasci redondinha, 5 quilos.
Fui ganhando peso pouco a pouco, não ultrapassando muito os padrões normais até aos dezanove anos, altura em que comecei a trabalhar.
Os hábitos mudaram bem como o tempo de que dispunha para as refeições.
Fiz, nos anos seguintes, algumas loucuras como Herbalife e outros tipos de substitutos alimentares, perdi peso mas ia buscá-lo todo de imediato assim que parava.
Deixei andar até porque emocionalmente também não estava bem.
Anos depois, tinha vinte e oito anos, a minha mãe faleceu e, em apenas duas semanas, engordei dezoito quilos. Escusado será dizer que os nervos fazem-me aumentar de peso quer coma muito ou não.
Cheguei assim aos 110 k num abrir e fechar de olhos.
O tempo passou e resolvi ir ao Tallon. Perdi 30K e mantive-me nos 78 k durante dois anos. Estava de novo elegante e a gostar de mim.

Aos trinta e três anos casei, engravidei e aumentei na gravidez os trinta quilos que tinha perdido. Até hoje eles estão cá.

Tenho passado por todos os problemas inerentes ao excesso de peso: vergonha de aparecer em Top sem um casaquinho que tape alguma coisa mais, vergonha de ir à praia e de me expor em fato de banho, vergonha de me ver ao espelho ou de deixar que alguém me veja, vergonha de fazer amor de luz acesa. Vergonha de mim!

Pensava constantemente que devia emagrecer para que gostassem de mim mas, por outro lado, achando que deviam gostar de mim por quem sou, acreditava intimamente que não devia perder peso por isso.

Entretanto não fui nunca seguida por um psicólogo e devia ter feito isso.

Relativamente a problemas de saúde até à data só a tensão alta. O dinheiro não estica e, embora conhecendo o efeito das cirurgias bariatricas não tinha dinheiro para financiar uma.
Soube, entretanto que a ADSE passou a comparticipar. Não hesitei!
Marquei consulta em Janeiro deste ano, fui a essa consulta em Fevereiro, já realizei os exames todos e aguardo nova consulta para o dia 13 de Abril. Irei colocar a Banda Gástrica, espero que para breve.
Por enquanto reside a esperança e são muitas coisas que eu espero:
FISICAMENTE:
Não me cansar; melhorar os derrames que tenho nas pernas; deixar para trás as dores nas costas; perder 40 quilos, comprar tamanhos M ou L em vez de XXL; poder entrar em qualquer loja sem receio que me digam que não têm nada para mim; ir à praia com o meu filho o número de vezes que ele quiser e vestir orgulhosamente o meu fato de banho…

PSICOLOGICAMENTE:
Gostar mais de mim, deixar aproximar os outros e aproximar-me deles sem receio de qualquer especie; recuperar o carinho/amor de alguém sem medos…

Muito mais desejo.
Num futuro que espero próximo darei notícias.