Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gorda sim, mas com Humor!

Sou uma Ex-Obesa Morbida e criei este blog apenas para que a minha experiencia possa ajudar e esclarecer quem tambem sofre desta doença

Banda Gástrica e Bypass Gástrico

Tenho percebido que existe uma grande confusão sobre as diferenças da Banda Gástrica e do Bypass Gástrico (que é o que eu vou fazer).

Vou entao tentar explicar um pouco o que é cada um...

Começo por dizer que a operação de redução de estômago é uma solução para pessoas que sofrem de obesidade morbida.

Ok! e perguntam vocês: " Como é que se sabe se a obesidade é morbida ou não?"

Pois bem, calculando-se o Indice de Massa Corporal (IMC).

Para este tipo de cirúrgia terão que ter um IMC acima dos 40, ou dos 35 se sofrerem de doenças complicadas e associadas ao excesso de peso e que com a operação possam melhorar.

Mas não depende só do IMC... Toda uma equipa incluindo nutricionista e psicóloga decidem se estaremos aptos ou não á cirúrgia depois de vários exames.

 

banda.jpg
A colocação da Banda Gástrica é talvez a mais conhecida e consiste em ser colocado uma banda (tipo um anel) que aperta a parte de cima do estômago.

A banda é feita de silicone e pode ser manipulada de acordo com as necessidades, ou seja, pode ser apertada ou alargada permitindo que se coma mais ou menos e consequentemente emagreça mais ou menos.

 


bypass.jpgO Bypass Gástrico é uma intervenção mais complexa e demorada que a banda gástrica, consiste em fazerem um corte numa pequena porção do estomago, a mais alta, onde criam uma pequena bolsa, que depois é ligado directamente ao intestino delgado, ou seja é feita uma passagem directa dos alimentos para o meio do intestino.

Desta forma passa-se a comer menos quantidade como acontece com a banda mas também absorve menos, logo há um melhor resultado e uma maior perda de peso.

 

laparoscopica.jpgAmbas as cirúrgias hoje em dia são feitas por laparoscopia que é uma técnica que permite fazer a cirúrgia sem ser de "barriga aberta" sendo apenas necessário fazer uns pequenos furinhos onde introduzem pequenos tubos que atravessam a parede abdominal permitindo insuflar CO2 no interior do abdomen criando um espaço suficiente para, com pequenos e longos instrumentos que entram dentro desses tubos, se consigam manipular os orgãos e realizar o pretendido, tudo isto com visão indirecta transmitida desde o interior do abdomen a partir de uma pequena camera aí colocada também, por um desses tubos.

Dada a pequena dimensão dos tubos as lesões (cortes) provocados são muito pequenas e dai que sejam operacões que provocam pouca dor e permitam uma recuperação rápida..

Em ambas as cirúrgias são sempre acompanhadas a longo prazo por uma equipa que inclui nutricionista e psicólogo e cirurgião.

 

sorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gifsorriso.gif

 

Agora para desanuviar...

Fui uma adolescente dos anos 80, no tempo em que havia matinés nas discotecas...e eu dançava horas infinitas com este corpinho (na altura um verdadeiro danone) ao som do videoclip do Michael Jackson...

Mas os tempos mudam...eu mudei (e como!) ...e o videoclip até parece que se adaptou a mim! sorriso.gif

Divirtam-se!

71 comentários

Comentar post

Pág. 1/7